Jonh Pizzarelli: “As melhores oportunidades existem aqui”

by • 12 de junho de 2016 • agenda, entrevistas, Novidades, textosComments (0)1272

CapaCDAclamado pelo jornal Boston Globo por “revigorar o grande Amerincan Songbook e re-popularizar o jazz", o guitarrista e cantor Jonh Pizzarelli veio ao Brasil para uma curta temporada. O guitarrista começou a tocar guitarra aos 6 anos de idade, seguindo a tradição de seu pai, o também guitarrista Bucky Pizzarelli. Se voltou para o jazz ainda na adolescência, depois de tocar em bandas de rock, e aprendeu tocando com o pai e muitos outros grandes músicos de jazz que influenciaram seu trabalho como: Benny Goodman, Les Paul, Zoots Sims, Clark Terry, entre outros. Pizzarelli iniciou sua carreira solo em 1990 com My Blue Heaven, lançado pela gravadora Chesky. Ele tocava em clubs e salas de espetáculo, abrindo para nomes como Dave Brubeck, Ramsey Lewis e Rosemary Clooney. Em 1993, ele teve a honra de abrir para a turnê internacional de Frank Sinatra. De depois fez parte da celebração de aniversário dos 80 anos do músico, no Carnegie Hall, e a plateia veio abaixo ao interpretar “I Don’t Know Why I Love You Like I Do”, acompanhado por seu pai. O músico concede uma rápida entrevista para o Pauliceia do Jazz e fala um pouco sobre o seu novo trabalho em homenagem a Paul MCcartney:   Pauliceia do jazz: Como aconteceu a ideia de gravar o novo álbum com compositores e músicas de Paul McCartney? Jonh Pizzarelli : Eu recebi uma carta do senhor Paul sugerindo o conteúdo do álbum, título e capa! PJ: Ouvi dizer e assisti os clipes em seu canal do YouTube. Sua interpretação ficou singular, especial. Arranjos cuidadosamente preparados, com uma sonoridade rica e uma grande selecção de músicos para participar de suas gravações. Quanto tempo você levou para produzir o novo CD? JP: O cd foi produzido  ao longo de um período de 6 meses, mas realmente em dias de trabalho objetivo era cerca de duas semanas. Três dias em julho e, em seguida, cerca de 5 dias em janeiro.Mas com apenas esses dias fomos capazes de espalhar as coisas e realmente tomar o tempo para fazê-lo direito. PJ: Pizzarelli, você faz uma temporada intensa em nosso país. Em São Paulo, você fez uma apresentação no Bourbon Street, o que você considera a "sua casa" no Brasil e fez seu último show no Teatro Bradesco  Como é a sua relação com a cidade de São Paulo. Você tem uma paixão por Brasil, especialmente para passar cidade de São Paulo? JP: Nós sempre acabamos fazendo mais em São Paulo, pois estamos reservados na cidade e as melhores oportunidades existem aqui: TV, imprensa, clube e trabalho no teatro. Dito isto, nós começamos a fazer as coisas mais pessoais, em São Paulo, como sair, comer e beber PJ: Recentemente você fez um show em uma grande loja em Nova York, em um clima espontâneo e descontraído. É você fez um show solo nesta loja. Como foi a experiência de apresentar o seu novo trabalho para os clientes da loja? JP:Era uma loja casa chamada Crate and Barrell. O CEO é um amigo e fã e queria ajudar a promover MIDNIGHT MCCARTNEY. Foi muito divertido tocar neste lugar. PJ: No último show no Bradesco Theatre, em São Paulo, você cantou as músicas de seus outros CDs. Os brasileiros puderam ouvir clássicos como: "The Girl of Ipanema", "Só Danço Samba", "They Can't Take That Away From Me"? JP: A resposta curta é sim. Nós temos a experiencia do que trabalhamos  a partir do CD atual e também do repertório que não foi tocado no Bourbon Street. Nós acrescentamos algumas coisas do McCartney também.   Assista o clipe de " Sillly Love Songs"
Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *