Jazz nos Fundos e os sons desta semana

by • 17 de outubro de 2017 • agenda, DestaquesComments (0)216

CCMI / JAZZNOSFUNDOS
De 17 a 21 de outubro
TER | 17 OUT | 21h30 | Marmelade com Brass’n’ Drum Project
R$ 10 (antecipado) R$ 15 (porta)

Festa cítrica com muita calda musical!
>>> Cheguem cedo para o Ha Ha Hour no nosso novo terraço, a partir das 19h! 🎶 🍺🍸🎶
JazznosFundos apresenta a Festa Marmalade, um grande encontro musical para ouvir muito jazz, grooves, funk e música brasileira. Nesta noite, a JAM Session é comandada pelo grupo Brass ‘n’ Drum Project, que reúne, Rubinho Antunes, Jorginho Neto, Paulo Almeida e Elizer Tristao
Uma noite de surpresas, sons e encontros inesperados e grandes momentos especiais não ensaiados! Para o público ouvinte, é noite de saborear música em clima de festa!
Com Rubinho Antunes (trompete), Jorginho Neto (trombone), Paulo Almeida (bateria) e Elizer Tristao (tuba).

QUA | 18 OUT | FUSIONS Com Igor Willcox Quartet #1 & Tribute To Heroes

Fusions – as quartas-feiras com programação especial de shows e artistas que experimentam o diálogo entre diferentes gêneros como Jazz Rock, Rock, Eletrônico, Funk com muito groove apresenta Igor Willcox Quartet – #1 & Tribute To Heroes.
Nesta noite, Igor Willcox, baterista e compositor, apresenta no primeiro set músicas do seu primeiro álbum solo, intitulado #1 que traz elementos do jazz, funky e fusion. No segundo set, o quarteto tocará músicas de seus grandes heróis do Fusion, como Return To Forever, Weather Report, Herbie Hancock, Chick Corea, Allan Holdsworth, etc.
O álbum teve uma excelente resenha no mais importante e popular site de música de jazz do mundo, o All About Jazz. “Os fãs de fusion e jazz-funk em particular irão apreciar o estilo de condução firme, implacável de Willcox e com algumas contribuições de bom gosto de seus colegas, é uma passeio auspicioso deste baterista e compositor versátil.”
“Há evidências mais do que suficientes aqui para sugerir que Willcox pode reivindicar um lugar na mesa entre os bateristas atuais, continuando a inspirar eficazmente os abundantes recursos do jazz fusion.“ Troy Dostert – All About Jazz
Com Clayton Sousa (sax), Erik Escobar (piano elétrico e synths), Glécio Nascimento (baixo) e Igor Willcox (bateria).

QUI | 19 OUT | 19h30 | David Ryan Harris

R$ 40 (Lote 1 antecipado) e R$ 50 (Lote 2 e porta)
Guitarrista do cantor John Mayer, o cantor, compositor e multi-instrumentista, David Ryan Harris estará no Brasil a propósito da turnê do cantor e vem ao Centro Cultural da Música Instrumental apresentará pela primeira vez no Brasil seu trabalho solo.

Seja com suas primeiras bandas como Follow For Now e Brand New Immortals ou ao longo de seus seis álbuns individuais, Harris conta histórias que ressoam. Carregou esse mesmo espírito ao atuar com John Mayer, Dave Matthews e Santana ou produzindo para Cassandra Wilson e Guy Sebastian – com quem ele co-escreveu “Battle Scars”. Mais recentemente, lançou o disco “Lightyears” (2015), com participação de John Mayer, India.Arie e Nikka Costa, recebendo elogios da mídia especializada de veículos como All Music Guide, Glide Magazine, Elmore Magazine, Performer Magazine, AXS, Relix Magazine. Apresentou o trabalho em programas da Fox, CBS e The CW em meio a turnês cheias. Seu próximo trabalho será seu sétimo disco “Songs For Other People”, a ser lançado este ano.
Para gravar “Songs For Other People”, ele convidou talentosos músicos como o baterista Terrence Clark, que conheceu no YouTube, o tecladista Zach Ray e o produtor vencedor do Grammy Awards, Mike Elizondo (Eminem, Dr. Dre, Fiona Apple, Maroon 5) no baixo. Em meio à turnê de John Mayer deste ano, Harris apresentará seu trabalho autoral em várias partes dos Estados Unidos e do mundo; e não poderia estar mais entusiasmado com seu primeiro show solo no Brasil.
Com David Ryan Harris (voz e guitarra)

QUI | 19 OUT
21h30 | LaBaq
23h30 | Diego Moraes

Noite de destaque de cantautores da cena da música independente! Às 21h30 receberemos LaBaq, que virá apresentar o repertório de seu primeiro disco: ‘v o a’, e em seguida, é a vez de Diego Moraes trazer o repertório de seu álbum autoral de estréia #ÉqueeuandodeÔnibus.

21h30 | La Baq

Após passar pelos palcos de cidades como Madrid, Barcelona, Lisboa, Porto, Coimbra, Paris em sua primeira Euro Tour com o álbum, a cantautora e instrumentista LaBaq vem apresentar o repertório de seu primeiro disco: ‘v o a’. O trabalho nasceu da experiência de anos circulando pelos principais circuitos da música independente dentro e fora do Brasil, onde a identidade da guitarra e das composições da artista se firmaram e com produção musical do austríaco Michi Ruzitschka.
LaBaq é compositora, cantora, produtora musical e cultural e iniciou-se na música aos 12 anos, adotando a guitarra elétrica como seu principal instrumento para suas composições e onde vem firmando cada vez mais uma identidade singular em sua forma de tocar. Mantém constante movimento entre Brasil e Europa, atuando nas principais casa de shows de capitais e abrindo shows de Max de Castro e Maria Gadu em seguidas passagens pelo continente. Uruguai e Argentina estiveram em sua rota, lotando casas pelo circuito da música independente em Buenos Aires e Montevideo.
No Brasil, circula pelos principais circuitos da música independente, tendo realizado mais de 82 shows em 2015.
Com LaBaq (guitarra e voz), Thiago Leal (baixo) e Matheus Souza (Spds e bateria).

23h | Diego Moraes

Diego Moraes ficou conhecido pelo grande público com a participação do Ídolos em 2009 e lançou o CD/DVD de releituras de clássicos da MPB, pela EMI. Em 2011, foi convidado a participar do 21° Prêmio da Música Brasileira e dividiu palco com nomes expressivo, como Lenine e Caetano Veloso. Como intérprete e compositor, venceu inúmeros festivais (Festival “CANTA LIMEIRA”- SP, “Prêmio Sorocaba de Música” – SP, “Botucanto” – SP, “FAMPOP” Avaré – SP , FENAC, entre muitos outros).
Em 2015 uniu-se ao projeto Não Recomendados (Caio Prado – RJ e Daniel Chaudon – BSB) todos inquietos e com a mesma vontade: transformar, questionar e provocar os padrões comportamentais e viciados da sociedade. Não Recomendados já circulou pelas principais cidades do país, envolvendo participações especiais como Ney Matogrosso, Karina Buhr, Maria Gadú entre outros.

Com seu primeiro disco de músicas autorais que tem produção musical de Edu Capello, #ÉqueeuandodeÔnibus, o público se depara ironicamente em um cotidiano, repleto de alegrias, problemas sociais e solidão, com esse dom de conviver sorrindo e dançando com toda essa antítese. O gênero, drogas e amor foram premissa para o processo de repertório do novo disco de Diego Moraes.

Com Diego Moraes (voz), Wellington Viana (sax), Fernando Mumu (trombone), Fabio Ricardo de Oliveira (teclado), Edu Campello (guitarra) e Peo Fiorin (bateria).

SEX | 20 OUT |

22h | Vintena Brasileira
24h | Ricardo Herz Trio
R$ 30 antecipado / R$ 40 porta

Noite de música brasileira com dois grandes shows. Às 22h, a Vintena Brasileira, grupo liderado pelo pianista e arranjador, André Marques, que é adepta da “Música Universal”, escola de Hermeto Pascoal; e à meia-noite, o show do trio do violinista Ricardo Herz que com sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno.

22h | Vintena Brasileira

A orquestra de música instrumental “Vintena Brasileira” nasceu em abril de 2003, quando André Marques criou uma oficina de ritmos brasileiros com músicos formados pelo Conservatório Musical de Tatuí (SP).
Esse grupo se fortaleceu e hoje, em sua formação, tem 21 integrantes de diferentes cidades, que pretendem levar ao público o melhor da música instrumental brasileira, através do vasto conhecimento de André e o talento excepcional de seus músicos.
Com 3 CDs lançados, a orquestra é adepta da “Música Universal”, escola de Hermeto Pascoal, termo criado pelo mestre para designar a sua música, na qual são misturados todos os elementos possíveis em um gênero musical, sem rótulos, sem preconceitos, com uma mistura natural, através do conhecimento de vários ritmos e linguagens.
Para esse show, a Vintena estreia um novo repertório, que fará parte do seu 4º CD, que será gravado no mês de novembro. Além de músicas de autoria de André, também trará releituras de temas de Hermeto Pascoal, Milton Nascimento e Arismar do Espírito Santo.
Com André Marques (arranjos e condução), Ana Malta (voz), André Grella (piano e acordeon), Renato Pereira (violino), Rodrigo Ferreira (guitarra), Carla Raíza (viola), Dô de Carvalho (sax alto e flauta), Luiz Anthony (bandolim e violão), Jackson Silva (baixo), João Casimiro (bateria), Gui Silveiras (guitarra e voz), Luiz Benedetti (guitarra), Pedro Vercelino (percussão), Nido Fernandes (guitarra), Marcelo Pereira (sax barítono, sax soprano e flauta), Marina Beraldo Bastos (flauta e flautim), Rafael Gandolfo Scherk (violoncelo), Raphael Sampaio (trompete), Jota P(sax tenor, clarinete e flauta), Samuel Gustinelli (Dexter) (piano e acordeon) e Wanessa Dourado (violino).

24h | Ricardo Herz Trio

O trio do violinista Ricardo Herz ao lado de Michi Ruzitschka (violão 7 cordas) e Pedro Ito (percussão e bateria), tem no seu DNA ritmo, originalidade, força e swing. Neste show no CCMI / JazzNosFundos apresentam as músicas mais marcantes de seus trabalhos anteriores e as novas que integram seu mais recente disco, lançado em 2017, ‘Torcendo a terra’. Com entrosamento absolutamente coeso, o trio traz sempre na bagagem a parceria de dois discos lançados e várias turnês pelo Brasil e Europa.
Os instrumentistas começaram sua história musical juntas em 2001, quando eram alunos da Berklee College of Music em Boston. Em 2010, estando todos de volta ao Brasil com diferentes experiências, começaram a trabalhar o ‘Aqui é o meu Lá – Ricardo Herz Trio’, CD lançado em 2012 e que levou o trio a festivais no Brasil e no exterior tais como Skopje Jazz Festival (Macedônia), Miri Jazz Festival, (Malásia), Festival Jazz e Blues (Guaramiranga – CE), Festival Villa Lobos (RJ), a diversas salas e centros culturais no Brasil e exterior. O Trio fez parte da seleção oficial do Womex – The World Music Expo 2012, em Tessalônica (Grécia) e do JazzAhead! 2013, em Bremen (Alemanha), uma das maiores feiras do mundo na área do jazz.
Herz reinventou o violino. Sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno. Com a influência de Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, entre outros, o violinista mistura ritmos brasileiros, africanos e o sentido de improvisação do jazz mostrando a influência dos 9 anos em que viveu na França.
Atualmente, também desenvolve projetos com o compositor e vibrafonista Antonio Loureiro, com Samuca do Acordeon e com o pianista Nelson Ayres.
Com Ricardo Herz (violino), Michi Ruzitschka (violão 7 cordas) e Pedro Ito (percussão e bateria).

SÁB | 21 OUT |

22h | Alexandre Mihanovich
24h | Cosmopolita
R$30 / $40
Sem ensaios ou planos de voo, o guitarrista Alexandre Mihanovich reúne-se às 22h com o saxofonista Wilson Teixeira, o baixista Thiago Alves e o baterista Bob Wyatt para uma noite de jazz! Às 24h, o quarteto paulistano Cosmopolita, vem se destacando no cenário da música paulistana por suas apresentações vibrante, lança seu primeiro disco! Noite para celebrar!

22h | A. Mihanovich / W. Teixeira / T. Alves / B. Wyatt Quarteto

Um dos maiores guitarristas de jazz da cena brasileira, Alexandre Mihanovich, reúne-se com um grande time: o saxofonista Wilson Teixeira, o baixista Thiago Alves e o baterista Bob Wyatt para uma noite de puro jazz!
Alexandre Mihanovich é considerado por muitos um dos melhores guitarristas de jazz da cidade. Além de instrumentista é produtor, compositor e arranjador de extrema sofisticação. Já trabalhou para a orquestra Jazz Sinfônica, para a Banda Sinfônica, para a OSESP e para a L´Orquestra Polifonica Siciliana, além da SoundScape Big Band e outras formações instrumentais na cidade. O talento de Alexandre faz a guitarra soar de forma autêntica e espontânea, sem deixar de lado a referência ao legado de Wes Montgomery e de outras lendas da guitarra.
No repertório, standards, blues e composições autorais, “que provêm uma base sobre a qual improvisar, que é onde a coisa acontece”, explica Alexandre. “Não se trata de um solista e seus acompanhantes, mas sim de um quarteto onde todos participam da conversa. Tocar jazz é exatamente como conversar. Assim como não ensaiamos os encontros com amigos, não ensaiamos para tocar este tipo de música (o jazz), pois o inesperado e criativo, sine qua non do jazz, precisa de abertura e quanto menos soubermos, mais divertido (ou excitante). Nossas experiências e substâncias determinarão o andar da tocata, e nossa capacidade de falar a língua será testada e exercitada.”, conclui.
Com Alexandre Mihanovich (guitarra), Wilson Teixeira (saxofone), Thiago Alves (contrabaixo) e Bob Wyatt (bateria).

24h Cosmopolita | lançamento do disco | JNF
O quarteto Cosmopolita, que vem se destacando no cenário da música paulistana por suas apresentações vibrantes, no dia 21 de outubro faz show de lançamento do seu primeiro disco homônimo aqui no CCMI / JazzNosFundos!
O grupo mergulha na atmosfera sonora das décadas de 60 e 70, inspirados em referências como Lee Morgan, Grant Green, The Meters, Milton Banana e Moacir Santos.
O álbum, que conta com 10 temas autorais, é um híbrido fluido de referências que vão de ritmos brasileiros e latinos ao rock — tem samba-jazz-de-gringo com gafieira [Eu, você e todo mundo], brisas de surf music e circo mezzo brega à la Roberto Carlos [Vacaciones] e vibrações punk-psicodélicas [Johnny is Dark].
Um show imperdível com muita energia e groove na veia!
Com Zé Ruivo (piano elétrico, órgão e sintetizador), Dani Andreotti (guitarra), Gustavo Sato (baixo acústico e elétrico) e Bruno Tessele (bateria).

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *