Cida Moreira, Salloma Salomão e Exposição no Itaú Cultural

by • 18 de fevereiro de 2016 • agenda, DestaquesComments (0)445

*Dia 18 (quinta-feira): Cida Moreira apresenta "Soledade", seu mais novo CD  dentro da série Quintas Musicais. O repertório é eclético, vai desde “Viola Quebrada”, de Mário de Andrade, a “O Pulso”, dos Titãs, bem de encontro às referências musicais dela que transitam entre o sertão e a cultura urbana. Para este show, Cida conta com Omar Campos na direção musical e figurino de Ronaldo Fraga. *Dia 19 (sexta-feira): show de lançamento do sexto álbum de Salloma Salomão, abrindo a série de apresentações do Toca Brasil.  É conhecido por trabalhar com música de temática africana e afro-brasileira, com influências que vêm desde o congo e os moçambiques até às referências mais urbanas e contemporâneas – que são as que ele leva para o palco –, como o rap, soul, funk, pop, reggae, balada e rock. Saloma, além de músico, é  historiador. Esse novo projeto dele se chama Notas Tortas Da Madrugada, que conta com CD e DVD, gravados ao vivo, e um livro com letras de mais de 50 composições. O show traz um mergulho em seu repertório autoral pop, que é bastante grande, desde a década de 1970, integrando timbres eletrônicos e de sopros, além de cordas e tambores. O rapper James Bantu vai abrir o espetáculo e o Gabriel Rodrigues, pesquisador musical e filho do Salloma, também vai participar. Eles serão acompanhados pela banda Al-Andalus, criada por Salloma para esse projeto.   EXPOSIÇÃO: *No dia 20/02 (sábado): abre a primeira Ocupação do ano; o homenageado é Luiz Sergio Person. A mostra é sobre a vida, a trajetória no cinema, teatro, publicidade e tantas outras áreas nas quais Person empreendeu e marcou a cultura nacional entre os anos 50 e 70. A curadoria é das filhas dele, Marina e Domingas Person, da esposa, Regina Jehá, compartilhada com as equipes dos núcleos de Audiovisual e Literatura e de Comunicação do instituto. No campo do cinema, pela primeira vez, o público tem acesso ao roteiro de A Hora dos Ruminantes adaptado do romance homônimo de José J. Veiga e escrito pelo cineasta em parceria com o crítico Jean-Claude Bernardet; e rascunho, roteiros, fotos e outros tipos de registros sobre os clássicos São Paulo Sociedade Anônima (1965) e O Caso dos Irmãos Naves (1967). Em relação ao teatro, fica evidente o Auditório Augusta (atual Teatro Augusta), inaugurado por Person e Lauro Mirko Laurelli, nos anos 70. Neste núcleo há catálogos de alguns espetáculos e o mais importante é o texto da peça Trotski no Exílio, adaptada por Person do texto de Peter Weis (1916-1980), nunca encenada, depois de ter sido censurada em 1975. No espaço expositivo da Ocupação também haverá depoimentos em audiovisual de atores, críticos, roteiristas, cineastas que trabalharam com ele, como a Eva Wilma, além da família. *Dias 20 e 21 (sábado e domingo): como parte da programação paralela à mostra, no mesmo fim de semana de abertura da exposição, acontece também a leitura da peça Orquestra de Senhoritas, que foi encenada na década de 70 no Auditório Augusta e causou polêmica, já que as “senhoritas” foram encenadas por homens vestidos de mulheres, como Paulo Goulart, Laerte Morrone e Ney Latorraca. No Itaú Cultural, os diálogos serão lidos pelos atores Ando Camargo, Cassio Scapin, Cleiton Santos, Ivo Muller, Jonatan Harold, Nilton Bicudo e Rafael Gama. A direção é de Elias Andreato, a direção musical de Fernanda Maia e a produção de Domingas Person.      
Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *