Atrações nacionais e internacionais no Ilha Bela Jazz Fest

by • 7 de outubro de 2015 • agenda, DestaquesComments (0)741

Entre 15 e 18 de outubro, acontece a terceira edição do Ilha Bela Jazz Fest com a presença de 12 atrações nacionais e internacionais: Hermeto Pascoal, Ithamara Koorax, Lupa Santiago e Rodrigo Ursaia Quinteto, André Mehmari Trio, Maurício Carrilho & Nailor Proveta, Leny Andrade & Trio, Nenê Trio, Quartabê, Thiago Espirito Santo “Sexto Sentido”, Felipe Blues Band, e atrações internacionais, como a Banda Hazmat Modine e o guitarrista Mike Stern em formação trio, A programação do festival inicia-se a partir das 19hs no grande palco montado no centro histórico da ilha e  passarão três artistas ou grupos musicais por noite, totalizando doze exibições de quinta a domingo, com entrada gratuita. A produção é assinada pela Articular, com realização da Prefeitura Municipal de Ilhabela. Programação 15 de outubro – quinta-feira A abertura da edição 2015 do Ilhabela in Jazz, a partir das 19h, prestigiará um artista local, Felipe Blues Band, nascido na própria Ilhabela e considerado um dos melhores guitarristas do Litoral Norte de São Paulo. Ele tocará grandes standards do Jazz mundial em formato “big band”, acompanhado pelos músicos Binho (Baixo), Danilo Souza (Bateria), Nélio de Jesus (Piano), Odirlei Machado (Trombone), Cezar Cardoso (Sax Tenor) e Daniel Arruda (Trompete). As 21h, quem se apresenta é guitarrista Lupa Santiago e saxofonista Rodrigo Ursaia. Eles se unem ao pianista André Marques, ao contrabaixista Bruno Migotto e ao baterista Vitor Cabral para apresentar, em formato de quinteto, composições autorais. Ambos estudaram jazz nos EUA e dedicaram-se intensamente à música brasileira, sedimentando carreiras sólidas no campo da música instrumental tanto no Brasil como no exterior. Lupa Santiago possui uma discografia significativa, tendo gravado com grandes nomes nacionais e internacionais como os renomados saxofonistas norte-americanos Jerry Bergonzi e David Binney. Rodrigo Ursaia teve uma vivência de 12 anos em Nova York, tocando e gravando com vários artistas, e integrando os grupos de Rosa Passos e Dom Salvador, com os quais fez várias turnês internacionais. O último show da primeira noite, às 23h, contará com a participação de Leny Andrade & Trio. Considerada uma das maiores cantoras do mundo, foi premiada, em Washington, junto com Herbie Mann e Charlie Bird, com o troféu “Voz das Américas”. Ultimamente tem viajado pelo mundo, fazendo shows e apresentando-se em festivais com os maiores nomes da música internacional. Com cerca de 20 discos gravados e dois DVDs (um com, Cesar Camargo Mariano e, outro, no Teatro Rival). Leny será acompanhada pelos seus fieis escudeiros, Fernando Merlino (piano e arranjos), Erivelton Silva (bateria) e Jamil Joanes (baixo). 16 de outubro, sexta Maurício Carrilho e Nailor Proveta prometem um show memorável. Instrumentista, arranjador, compositor e ensaísta, Maurício Carrilho vem dedicando-se à preservação da história da música brasileira. Sua atuação como violonista (de 6 e 7 cordas) e arranjador é muito conhecida do público graças a seus inúmeros trabalhos ao lado de ícones como Elizeth Cardoso, Chico Buarque, Francis Hime, Paulo Cesar Pinheiro e tantos outros. Nailor Proveta, como é popularmente conhecido o talentoso Nailor Azevedo, está entre os melhores instrumentistas de sopro do país e é líder da genial Banda Mantiqueira, um dos principais grupos instrumentais brasileiros, formado em 1993. Às 21h, será a vez de conferir André Mehmari Trio, na clássica formação trio de jazz, liderado por André Mehmari ao piano, Neymar Dias no contrabaixo e Sérgio Reze na bateria. O conjunto apresenta repertório de composições próprias e recriações de clássicos do jazz e da música brasileira em um show de muito lirismo e virtuosidade. Para o show de encerramento da primeira noite do Ilhabela in Jazz, a partir das 23h, a presença do inquestionável Hermeto Pascoal. Artista que dispensa apresentação, pois é, certamente, um dos mais importantes compositores e instrumentistas do Brasil, famoso nos quatro cantos do planeta, Hermeto fará uma apresentação na versão Hermeto Pascoal & Grupo, tocando acordeão, flauta, piano, saxofone e sintetizador, entre outros instrumentos. Dia 17 de outubro, sábado Para abrir a noite de sábado, às 19h, o baixista Thiago Espirito Santo reúne amigos e parceiros para uma homenagem mais que especial: o conjunto da obra e, muito fortemente, o modo de tocar, sentir, expressar-se e emocionar por meio da música de Jaco Pastorius. Nesse show, Thiago apresenta-se em formação de sexteto, bem ao estilo dos discos e shows de Jaco. Jorginho Neto (trombone), Diego Garbin (trompete), JP Barbosa (sax e flauta), Amoy Ribas (percussão) e Fernando Amaro (bateria) são os acompanhantes para o baixo frenético de Thiago. Imperdível! Às 21h será a vez de Nenê Trio subir ao palco do Ilhabela in Jazz.Donos de uma das carreiras mais inventivas e originais da música brasileira, Nene Trio resulta da combinação de excelência musical com a sintonia artística adquirida em uma longa e produtiva associação. Írio traz um senso melódico aliado a uma intensa energia criativa. Alberto, grande baixista, é o elo que une as energias dos colegas em uma unidade coerente. E Nenê, baterista, compositor e pianista de profundo conhecimento da música brasileira, um espírito criativo que reinterpreta e renova a tradição rítmica. Primeira presença internacional no palco do Ilhabela in Jazz, Mike Stern apresenta-se como última atração da noite de sábado, às 23h, com um repertório escolhido a dedo. Considerado um dos melhores e mais badalados guitarristas de jazz do mundo, é um músico com extenso currículo e que desenvolve há quase 30 anos uma premiada e elogiada carreira solo. A carreira de Mike Stern como guitarrista começou a ganhar força quando ele integrou a banda Blood, Sweat & Tears entre 1976 e 1978. Em 1981, a glória suprema: foi convidado a integrar a banda de Miles Davis, participando com destaque do álbum ao vivo We Want Miles (1982), tocando ao lado do mestre do jazz e também de músicos do calibre de Bill Evans (sax), Marcus Miller (baixo) e Minu Cimelu (percussão). Uma das faixas proporcionou a Davis um prêmio Grammy por melhor performance instrumental de jazz. Seu álbum mais recente é Eclectic, gravado em parceria com o guitarrista Eric Johnson e no qual canta pela primeira vez. O lendário baterista Dennis Chambers tocará no trio do Mike Stern. Com apenas 18 anos Dennis já integrava um dos mais importantes grupos de funk e soul do mundo, o Parliament Funkadelic. Agora, em carreira solo, tem tocado ao lado dos maiores nomes do Jazz Fusion mundial, como John Scofield, George Duke e Santana, com quem excursionou por todo o mundo Dia 18 de outubro, domingo O último dia do festival promete. Abrindo a noite de domingo, às 19h, a presença de Ithamara Koorax. Aclamada como uma das quatro melhores cantoras do mundo pela revista Down Beat, a “bíblia do jazz”, Ithamara já apresentou-se em alguns dos principais palcos do planeta – do Teatro Municipal (Rio) ao Jazz Café (Londres), do Martinus Concert Hall (Helsinki) ao Bourbon Street (São Paulo), passando pela Sala Cecília Meirelles, Mistura Fina e Metropolitan. Em seguida, às 21h, sobe ao palco o Quartabê. Grupo criado a convite do Festival Moacir Santos, o Quartabê surgiu a partir da banda Claras e Crocodilos. Ana Karina Sebastião (baixo), Joana Queiroz (sax, clarinete e clarone), Maria Beraldo Bastos (clarinete e clarone) e Mariá Portugal (bateria), são a ala feminina do projeto que vem arrancando elogios da crítica e do público, com shows no Brasil e no exterior, incluindo uma temporada lotada no reduto experimental Audio Rebel (RJ). As “Claras” unem-se a Rafael Montorfano, pianista e tecladista atuante na cena musical e teatral paulistana, para trazer uma leitura diferente do repertório já consagrado do gigante Moacir Santos. A Quartabê lança mão de referências que vão do free jazz escandinavo ao afro-beat para tentar revelar alguns aspectos não tão explorados da multifacetada música de Moacir Santos. Após uma estreia animadora no Rio de Janeiro, o grupo foi contemplado pelo edital PROAC do Estado de São Paulo acaba de gravar o disco que registra este seu primeiro trabalho “Lição número 1: Moacir”, lançado em setembro. O encerramento da terceira edição do Ilhabela in Jazz, às 23h, acontece em grande estilo, com mais uma atração internacional: a banda Hazmat Modine. Considerada uma das mais originais de Nova YorK, Hazmat Modine oferece uma rústica mistura de jazz, blues, reggae bordel, klezmer, country e música cigana. Esta diversidade fica também patente nos instrumentos utilizados, originários da China antiga ou da Romênia. No palco do Ilhabela in Jazz, as presenças de Wade Shuman (gaita), Joseph Daley (tuba), Plamela Fleming (trompete), Steve Elson (flauta), Richard Huntley (bateria/percussão), Rachelle Garniez (acordeão), Michael Gome (guitarra), Reut Regev (trombone) e Erik Della Penna (guitarra). Serviço: Ilhabela In Jazz 2015 Data: de 15 a 18 de outubro Horário: a partir das 19h Local: Centro histórico de Ilhabela Entrada: Gratuita
Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *