A perda de um grande músico

by • 21 de abril de 2009 • textosComments (0)392


O saxofonista alto Bud Shank, considerado um dos icones do cool jazz - mais especificamente da variante West Coast ( que formou com Chet Baker e Gerry Mulligan o primeiro núcleo cool da Costa Oeste), morreu no inicio deste mês durante os trabalhos para a gravação de seu novo disco.

Para o músico brasileiro João Donato, foi lamentável a perda de um "grande amigo" e relembrou dois albuns que gravaram juntos: " Bud Shank and his Brazilian Friends" (1965, Pacific Jazz) e " Uma tarde com Bud Shank e Donato" (2004, Biscoito Fino) . No primeiro albúm estão além do pianista-compositor, Rosinha de Valença (violão), Tião Neto (baixo) e Chico Batera;no segundo Luis Alves (baixo) e Robertinho Silva (bateria).

Laurindo de Almeida e Bud Shahnk foram precursores da jazzificação do samba, em abril de 1953 - nove anos antes do antológico "jazz Samba" , de Stan Getz e Charlie Byrd - com o primeiro volume da série "Brazilliance" (Pacific Jazz, reeditado em CD pela Blue Note, em 1991). Neste álbum, o violonista e o saxofonista tratam de maneira bem soft ( quase smooth jazz , ainda sem a batida da bossa nova) versões de "Carinhoso" (Pixinguinha), "Speak Low" ( Kurt Weil), "Inquietação" (Ary Barroso), "Tocata" ( Radamés Gnatalli), originais de Almeida e outros temas menos conhecidos.

Registre-se ainda que Laurindo e Bud formaram nos anos 1970, o L.A. four , com o grande Ray Brown no baixo. O grupo não chegou a criar o maior frisson no planeta jazz.
Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *